Metas de gestão: como implementá-las corretamente na empresa?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Coordenar uma empresa não é uma tarefa simples. As metas de gestão aparecem nesse contexto justamente para dar encaminhamento a todos os processos da natureza administrativa. Tê-las bem resolvidas e montar um bom plano para alcançá-las garante a perpetuidade da organização, além do bom posicionamento de mercado.

Mas afinal, o que é a gestão de metas? No que ela difere da “direção tradicional”? Quais benefícios trabalhar direcionado para resultados traz ao negócio? Hoje falaremos sobre todas essas questões, dando algumas dicas. Quer ficar por dentro de tudo isso? Continue conosco neste artigo que preparamos para você!

O que é gestão de metas?

A administração de uma empresa organiza os recursos, distribuindo-os de maneira coerente para o alcance dos objetivos. O planejamento estratégico define esses grandes propósitos.

Ao abordar a gestão de metas, estamos pontuando a quantificação desses alvos, ou seja, colocando tudo em números: a evolução dos ideais deve ser passível de medição, uma vez que o desempenho da direção é orientada para resultados.

Entre as vantagens dessa prática podemos citar:

  • dá base para a tomada de decisão, fazendo-a melhor e mais ágil;
  • integra as áreas do negócio, engajando a equipe;
  • elimina desperdícios de recursos e excessos, diminuindo os custos;
  • evita o retrabalho de setores diversos;
  • otimiza o tempo de toda a organização;
  • aumenta a qualidade dos serviços e produtos;
  • alinha o operacional com a estratégia da gestão.

Como aplicar as metas de gestão?

Um grande vilão do trabalho de gestão é a falta de clareza da estratégia. Ainda que as metas sejam muito bem definidas, é essencial que toda a organização esteja envolvida e no ritmo proposto. Para isso, a estrutura do planejamento precisa ser apresentada de forma dinâmica.

Nesse sentido, mapas estratégicos são ideais, tanto para manter a gestão atenta ao andamento dos procedimentos quanto para orientar a equipe dentro do plano. Além disso, existem outras práticas que trazem resultados bem-sucedidos na implantação das metas de gestão. Acompanhe os próximos tópicos!

Planeje estrategicamente os pontos a serem desenvolvidos

Quando falamos em estratégia, pense nela como uma definição de um esquema para realizar algo. Antes de tudo, é necessário que as metas realmente expressem a real vontade da gestão em relação ao negócio.

Considere a cultura organizacional, ou seja, quem a empresa é, e quais políticas, posturas, opiniões e ações ela promove (se a identidade do seu empreendimento não é bem definida e clara, é hora de trabalhar nisso). Após, pense em metas factíveis e ousadas.

Imagine que a sua empresa é uma pessoa: quem ela é e aonde ela quer chegar? Como isso vai acontecer? Em quanto tempo? Usando quais caminhos? Todos os passos definidos devem colaborar de alguma forma com essas definições e com um objetivo maior.

Utilize métodos renomados

Há diversas práticas no mercado que podem ser usadas em prol da gestão de metas. Seja para auxiliar na própria definição e mensurar os objetivos, seja para acompanhar as aplicações e nortear otimizações: vale a pena utilizá-las para o crescimento do negócio.

Para criação, implantação ou manutenção da estratégia, veja algumas dessas metodologias a seguir!

Metodologia OKR

Começamos pela metodologia OKR (Objectives and Key Results) porque ela tem muito a ver com a gestão de metas. Por meio dessa prática, é possível deliberar os objetivos da administração, bem como elencar os indicadores-chave para apurar se as metas estão bem encaminhadas.

O primeiro ponto importante é estabelecer prioridades e, principalmente, quantificá-las. Lembre-se de que propósitos se tornam metas quando são colocados em números. A metodologia mira em 5 grandes objetivos, com 4 resultados-chave para cada um.

Análise SWOT

Também conhecida como Matriz FOFA (para adaptar as iniciais ao nosso idioma), a análise SWOT levanta posicionamentos acerca da empresa, determinando como acontecimentos internos e externos afetam a organização.

A partir dessa metodologia, estabeleça o cenário atual da atuação do negócio e coloque em pauta:

  • os pontos fortes e fracos (“strenghts” e “weakness”): forças e fraquezas que estão em poder da gestão, sendo aspectos do empreendimento;
  • as oportunidades e ameaças (“opportunities” e “threats”): elementos externos à administração.

5 Forças de Porter

As Forças Competitivas são altamente abordadas pelos grandes nomes do mercado. Isso se dá porque essa ferramenta analisa a situação da concorrência.

Use-a para definir quem são os concorrentes e qual é o poder de barganha da empresa diante dos clientes e fornecedores. Tendo essas informações em mãos, é possível trabalhar a competitividade dos serviços e produtos.

Ciclo PDCA

O PDCA é usado como uma metodologia que norteia a gestão como um todo, sendo também executado juntamente com estratégias que utilizam o BSC ou a OKR. Trata-se de um processo de Planejar (Plan), Fazer (Do), Checar (Check) e Agir (Act). Esse ciclo deve ser repetido continuamente.

Primeiro, ocorre o planejamento, em que são definidos os métodos. Na sequência, implementa-se o que foi planejado para medir os resultados, checando e validando o que foi aplicado. Por fim, resta agir em prol da correção de possíveis erros e problemas, além de implantar melhorias para os processos mensurados.

Diagnóstico 360º

A análise 360º leva em consideração as características do mercado para orientar a administração na hora de seguir em frente com um projeto específico. Ela auxilia na interpretação dessa ideia, no sentido de indicar a viabilidade.

Oportunidades de negócio são vistas de forma dinâmica quando essa metodologia está em prática, já que os aspectos mercadológicos e de qualidade (clientes) são colocados em pauta. Ela elege quais ações são mais rentáveis e lucrativas para a empresa.

Repasse os indicadores de desempenho da organização

É muitíssimo importante que você se desprenda da tradição quando isso for conveniente para o crescimento do seu negócio. Ainda que existam muitas metodologias e indicadores comumente usados no mercado, é imprescindível que você levante as necessidades específicas da sua empresa.

Estratégia é a palavra de ordem. Por isso, observe como anda a sua organização. Se você tem um escritório, por exemplo, os índices de espera de atendimento podem ser valiosos para a experiência do cliente.

Não deixe algo passar batido só porque não é “a visão que todo mundo tem” sobre o empreendimento. Na contabilidade, principalmente, os profissionais costumam ser vistos de uma maneira engessada, prestando contas sem que a estratégia seja contemplada. Você não precisa ser mais do mesmo: use a contabilidade estratégica!

As metas de gestão funcionam de forma adequada quando são alinhadas estrategicamente, ou seja, elas devem ser definidas e encaminhadas para colaborarem com o objetivo maior da organização, sempre fazendo menção à identidade do negócio. Atentar-se à estratégia — em todos os sentidos — é uma prática de sucesso que tem sido alvo de benchmarking no mercado. Sendo assim, é importante manter-se por dentro dessa tendência.

Gostou do nosso artigo sobre metas de gestão? Então, que tal ler também sobre contabilidade estratégica? Descubra 4 maneiras de adotá-la!

 

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Posts mais recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar a sua experiência no uso do site. Ao utilizar nosso site você reconhece que está de acordo com a nossa Política de privacidade.