Entenda a importância do controle gerencial e veja como aplicá-lo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Para obter agilidade e bom desempenho nos negócios, é fundamental contar com um método seguro e confiável. A fim de realizar os objetivos empresariais, o controle gerencial entra nesse cenário para assegurar que os recursos sejam adquiridos e aplicados de maneira eficiente e efetiva.

Logo, o controle gerencial busca garantir que as operações ocorram conforme o planejado. Ele é muito importante, pois se relaciona com a contabilidade gerencial e com todo o processo de administração de uma empresa, independentemente do seu tamanho.

Quer saber mais sobre esse assunto? Confira neste artigo como aplicar e ampliar o controle gerencial na sua empresa. Boa leitura!

Defina um modelo a ser seguido

Ao criar as referências de um modelo desejado, você permite a identificação do que deve ser seguido e qual é o resultado esperado. Esse modelo deve ser desenvolvido por quem vai utilizá-lo, a partir de um consenso do grupo.

Não se prenda somente ao aspecto teórico, seja objetivo e tenha embasamento prático para retratar como os processos realmente funcionarão. Logo, sobre essa base sólida e bem definida, você terá um modelo que define como se dará a continuidade dos processos por meio de informações precisas e com riqueza de detalhes. Isso impacta como a organização vai se comportar dentro do aspecto competitivo do mercado.

Tenha atenção ao controle interno de procedimentos para a proteção de ativos. Um bom modelo e controle gerencial devem ser padronizados e conversar com todas as partes fundamentais da organização. Assim, o controle gerencial será bem-sucedido dentro da proposta para a definição de metas e metodologias de trabalho.

Utilize indicadores

Para manter o controle gerencial, é imprescindível o uso de indicadores que vão mensurar a produtividade e o sucesso da execução do projeto. Em função disso, é possível extrair informações por meio de relatórios estatísticos, dando condições de avaliar a evolução do processo de controle gerencial e de buscar o seu aperfeiçoamento. Abaixo, conheça alguns deles.

Estratégia

Esse é o indicador que ajuda a mensurar se o andamento do trabalho está de acordo com as diretrizes colocadas dentro do plano de gestão estratégica. Ou seja, os processos não podem fugir do que foi estabelecido anteriormente e devem estar subordinados ao controle gerencial.

Capacidade

Esse indicador foca na capacidade de resposta aos processos estabelecidos. Por exemplo, ele pode analisar se o departamento de contabilidade está dando conta das demandas que chegam e quais boas práticas estão sendo disponibilizadas pela empresa para o bom andamento do fluxo de trabalho.

Custo-volume-lucro

A análise custo-volume-lucro foca no impacto de níveis diferentes de atividades no tocante aos resultados financeiros da empresa. Isso dá uma visão da forma como as mudanças nos custos e nos volumes de vendas vão afetar a lucratividade. Esse indicador permite o controle do cálculo de quantas vendas serão necessárias para atingir as metas financeiras.

Faça ações corretivas

Mesmo utilizando um modelo elaborado de acordo com as necessidades e expectativas da sua empresa, é preciso saber como agir caso algum problema ocorra. Para isso, adote medidas corretivas, elas têm o objetivo de modificar os processos para mantê-los operando de acordo com o que a organização considera mais adequado.

As ações corretivas devem buscar a eliminação de causas de não conformidade para evitar que esses desvios ocorram novamente. Elas devem ser apropriadas aos efeitos de cada erro de processo identificado. Estabeleça as medidas de correção destacando os seguintes pontos:

  • identificação das causas de inconformidades;
  • análise crítica dos desvios;
  • determinação e implementação de ações devidas;
  • avaliação da necessidade de ações para assegurar padrões de conformidade;
  • avaliação crítica da eficácia das ações corretivas.

Por exemplo, se o setor contábil está com problemas na entrega de resultados no prazo, devido a gargalos que dificultam as atividades do dia a dia, as ações corretivas deverão identificar qual a causa dessa não conformidade de produtividade e ajustar o fluxo de trabalho, sempre visando os objetivos da empresa.

Fique de olho no desempenho

O desempenho está estritamente ligado à qualidade e à produtividade. Não se descuide no momento de analisar a eficácia da equipe. Avalie se todos os integrantes estão alinhados com os pontos e as diretrizes estabelecidos no plano estratégico.

Certifique-se de que os recursos disponíveis (operacionais, tecnológicos, informativos etc) são o suficiente para um desempenho significativo e se eles estão sendo bem utilizados pela equipe. Mediante o estabelecimento de padrões de desempenho, você pode encontrar parâmetros de avaliação que vão possibilitar a comparação com os resultados obtidos anteriormente.

Esse grau de comparação é a diferença entre o desempenho real e o desejado. De acordo com os resultados dessa análise, você verifica o andamento da empresa e extrai os dados necessários para ter condições de avaliar quais medidas devem ser tomadas.

Conheça as vantagens tecnológicas

Em um mercado cada vez mais globalizado, a tecnologia é uma aliada indispensável para a otimização de processos, economia de tempo e menores custos nas atividades de gerenciamento organizacional. Esse investimento em inovação traz retornos financeiros que podem ser utilizados na expansão dos negócios.

Nesse contexto, o ERP (Enterprise Recourse Planning), que é um software de gestão utilizado para apoiar a organização e o controle gerencial das empresas, entra em cena. Por meio desse sistema, você pode integrar recursos e gerir dados e processos para que haja assertividade na tomada de decisão, no planejamento e na execução de tarefas.

Com o uso correto dessa ferramenta, você expande a capacidade de encontrar soluções inteligentes para problemas que podem ocorrer em diversos departamentos. A interface do ERP é bastante amigável e intuitiva e também conta com suporte especializado em caso de dúvidas. Outro ganho na implantação do ERP é a eficiência, devido à padronização proporcionada nas atividades, o que torna os processos objetivos, simples e seguros.

Dessa forma, o controle gerencial se mostra fundamental para a saúde financeira e para a produtividade da organização, já que ele abrange todas as áreas relacionadas à atividade principal da empresa. Por meio do uso de soluções tecnológicas inteligentes, o controle em tempo real e a padronização de execução do projeto serão muito mais ágeis e consistentes.

Agora que você conhece a importância do controle gerencial e como aplicá-lo na sua empresa, não se esqueça de curtir a nossa página no Facebook e ficar por dentro das nossas postagens!

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Posts mais recentes

Deixe um comentário

Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar a sua experiência no uso do site. Ao utilizar nosso site você reconhece que está de acordo com a nossa Política de privacidade.